Mostra de Cinema Infantojuvenil de Cachoeira é destaque no Circuito Penedo

Evento dedica espaço para programação infantil durante toda a semana

O público infantil do Circuito Penedo de Cinema acompanha uma programação especialmente dedicada a eles desde a última terça-feira (27) e na manhã da sexta (30) não foi diferente. Na Sala de Exibições, as crianças puderam assistir a seis filmes dentro da Mostra de Cinema Infantojuvenil de Cachoeira (ManduCA).

Foto: Kamylla Feitosa

O nome da mostra se refere a uma marca da cultura popular de Cachoeira (BA), os Mandus, bonecos mascarados que desfilam na Festa de Nossa Senhora D’Ajuda. A mostra é uma realização do Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Cinema da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, que está participando do Circuito.

Os filmes seguiram a temática sobre Ética e estética na relação entre pais/mães e filhos no cinema e audiovisual, um dos objetos de pesquisa do PET, que dedica ações em torno da interface Cinema e Educação.

A cada intervalo entre os filmes, os representantes do PET Cinema interagiam com o público, mas um dos pontos altos aconteceu durante a exibição do curta ‘O Som do Silêncio’. O filme traz personagens surdos, que se comunicam através da Libras, a Língua Brasileira de Sinais. Por não ter legenda, os intérpretes de Libras, presentes em todas as sessões infantis, tiveram a ideia de fazer tradução simultânea dos diálogos, o que despertou ainda mais a atenção do público.

Foto: Kamylla Feitosa

A sessão era tão aguardada, que houve quem atravessasse o Rio São Francisco só para participar. Foi o caso dos estudantes do Colégio Estadual Amélia Maria Lima Machado, do município sergipano de Brejo Grande. Segundo a professora Grazielle Fugii, este é o terceiro ano que os alunos do colégio vão ao evento.

“A perspectiva do ano letivo para as crianças é sempre o passeio pra Penedo. Por ser uma comunidade muito pequena, eles não têm muita oportunidade de lazer, de ter um aprendizado como esse. É muito bom para eles”, explica.

E quem aprovou a sessão foi a desinibida Maria Clara Batista, 9 anos, que foi ao cinema apenas duas vezes na vida, sendo todas no Circuito. “Muito bom! Gostei mais da parte da capoeira e de cantar”, revelou.

A segunda sessão da ManduCA aconteceu na tarde deste sábado (1) com o longa-metragem ‘Jonas e o circo sem lona’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *