PROGRAMAÇÃO MUSICAL

TODOS

TODOS

  • Lambertus
  • Lara Melo
  • Janu Leite
  • Olha o Xote
  • Batuque Sururu
  • Wilson Santos e Orquestra de Tambores
  • Jurandir Bozo

 

QUINTA-FEIRA 9/11

QUINTA-FEIRA
Palco Penedo – Praça 12 de Abril
A partir de 23h

 

Lambertus

A banda surgiu em 2002 com a proposta de fazer rock cover e autoral no Baixo São Francisco. Depois de tantos anos, os Lambertus continuam na ativa e atualmente é composto por Lito Di Santi, Vam Bass e Memê.

 

 

 

Lara Melo

Desde os 15 anos, o canto surgiu. De lá para cá – atualmente com 32 anos de idade –, a paixão só aumenta. Hoje ela é integrante da banda de samba Cai Dentro, que é frequente atração dos barzinhos de Maceió aos finais de semana.

 

 

 

 

 

SEXTA-FEIRA 10/11

SEXTA
Palco Penedo – Praça 12 de Abril
A partir de 22h30


Janu Leite

Munidos de seus instrumentos criadores de ondas sonoras envolventes, a vingança e a obsessão guiarão os passos daqueles que sabem que para amor cego não existe braile. Com Alan Alves na guitarra, Rodrigo Cruz na bateria, Ítallo França no baixo, Ricardo Evangelista na percussão e Janu no vocal e guitarra.

 

 

Olha o Xote

Um forró como você nunca ouviu: o Xote Estilizado!

 

 

 

 

SÁBADO 11/11

SÁBADO
Palco Penedo – Praça 12 de Abril
A partir de 23h

 

Batuque Sururu

Como objetivo de inserir crianças e jovens da periferia de Maceió em espaços socioculturais, surge a banda que possui referências musicais de matrizes africanas.

 

 

 

Wilson Santos e Orquestra de Tambores
Wilson Santos é músico percussionista e começou a tocar percussão aos 11 anos de idade. Atualmente atua como oficineiro e professor de percussão e confecção de instrumentos percussivos artesanais no Centro de Belas Artes de Alagoas – Cenarte. Fundou e participa como integrante do grupo Orquestra de Tambores.

 

 

 


Jurandir Bozo
Artista Popular da nova geração, passeia por alguns ritmos e cantigas das tradições da cultura popular das Alagoas, mas com a originalidade de suas composições e arranjos para obras já vistas, tudo ganha uma outra atmosfera, atual e vibrante. Com cantigas de sua própria autoria e outras da mais genuína tradição oral das nossas manifestações. O espetáculo se constrói com a base do ritmo do COCO e seus TRUPES e permeia a tradição e a modernidade.